Blog

A Arte do Crescimento

 

Longo e até mesmo interminável é o caminho do cultivo e crescimento interior.

Dura no mínimo uma vida.

Já se perguntou quanto tempo dedicas a observar e cultivar este crescimento?

Ou mesmo identificar do que se trata este crescimento?

Quando começou? Ou quais são as principais raízes? E em que solo você está escolhendo para que deem frutos?

Aonde seja que suas reflexões e direcionamentos o levem, não se esqueça que, neste imenso jardim, tudo e todos estão interconectados. A sua seiva alimenta a ti e a todos.

Nada melhor que estar próximo a natureza, para entrar nos lugares mais profundos do nosso ser e se conectar com essas sementinhas, que estão criando raízes.

O Bambu Japonês

Não é necessário que um agricultor saiba que uma boa colheita exige boas sementes, bons fertilizantes e irrigação. É também óbvio que quem cultiva a terra não para com impaciência na frente da semente plantada e grita com toda a sua força: Cresça, caramba!

Há algo muito curioso que acontece com o bambu:

Você planta a semente, fertiliza e se ocupa de regá-la constantemente.

Nada apreciável  acontece com a semente durante os primeiros sete anos, a ponto de um cultivador inexperiente estar convencido de ter comprado sementes inférteis.

No entanto, durante o sétimo ano, em um período de apenas seis semanas, a planta de bambu cresce mais de 30 metros!

Demorou apenas seis semanas para crescer?

Não, a verdade é que levou sete anos e seis semanas para se desenvolver.

Durante os primeiros 7 anos de inatividade aparente, este bambu estava gerando um sistema radicular complexo que lhe permitiria sustentar o crescimento que teria após sete anos.

No entanto, na vida cotidiana, muitas pessoas tentam encontrar soluções rápidas e precipitadas, sem entender que a realização de um objetivo é simplesmente o resultado do crescimento interno e que leva tempo.

É nestes momentos, que a calma e a paciência tornam-se nossas grandes aliadas, para conseguir entender a transformação com sabedoria.

Mas, diante da realidade atual, em que somos expostos diariamente a situações de estresse ou ansiedade, é fácil ficar impaciente com os empecilhos que aparecem no caminho. Nesses momentos, a melhor solução é se conectar com a sua respiração, levar a nossa atenção ao nosso interior, para nós mesmos.

A respiração é vida, é calma, é paciência e é o que nos conecta com a nossa essência.

Usamos normalmente a respiração involuntária, sem colocar a atenção necessária em como estamos respirando.
Por este motivo, aqui vão algumas dicas e 1 exercício para otimizar este ato fundamental na manutenção e qualidade em nossas vidas. Que, com certeza, se revelará uma grande aliada nesta busca de crescimento interior.

1 . Respire pelo nariz, não pela boca.

2 . Normalmente leva-se o ar apenas à parte superior do pulmão, é importante levar o ar também a parte inferior do pulmão, utilizando o diafragma.

3 . Pratique exercícios de respiração com frequência.

Este exercício é simples, sente-se em uma cadeira, com a coluna ereta e deixe o corpo relaxado e alinhado. Feche os olhos.
Ao inspirar, conte até 3 expandindo os pulmões, preenchendo-os de baixo para cima.
Exale lenta e profundamente contando até 6, retirando todo ar dos pulmões.
Pulmões vazios, abdômen levemente contraído, afim de retirar todo o ar dos pulmões, recomece o exercício!
Repita por 5 respirações

Se sente que ainda não logrou o crescimento desejado, não se desespere. Talvez você esteja apenas criando raízes…Respire!